O que come o meu bebé?

Hoje escrevo sobre um tema que me é muito “querido”: introdução alimentar dos nossos bebés.

Sem qualquer pretensão de especialista, que não o sou, mas com o objetivo de desmistificar crenças de que o BLW “dá mais trabalho”, “precisa de muito planeamento”, “ui… só os cortes dos alimentos… nem digo nada!” do que o método tradicional.

Para mim não poderia ser mais ao contrário.

Já no tempo da baby M tive oportunidade de escrever aqui sobre isso. O BLW foi um salvador de tempo, um facilitador de rotinas e um descanso na hora de preparar refeições.

E porquê?

Porque a família come toda igual. Só precisamos de pensar num prato e cozinhar.

Bem sei que é aqui que está o busílis da questão. Infelizmente em muitas e muitas famílias as refeições e escolhas alimentares não são as mais adequadas para a família, menos ainda para um bebé. E todos os pais procuram não dar açúcar, sal, blá blá no primeiro/segundo ano de vida. Como se todos os outros que se seguem deixassem de ser importantes para a nossa constituição, para a informação que damos às nossas células… para a nossa saúde.

Parece difícil? Mas não é. É sim uma excelente oportunidade para mudar os hábitos (se necessário) de TODA a família. É como que um dois é um com um prémio extra de mais saúde para todos. 🙂

O primeiro passo é fazer uma avaliação de tudo o que têm em casa e não dariam ao vosso bebé. Salvo raras exceções é colocar no lixo. 😉 Vejam o que escrevi aqui.

O segundo passo é planear. A chave para que uma semana de refeições completas, variadas e nutritivas corra bem é o planeamento. Ter um inventário do que há em casa, perceber que ingredientes precisamos comprar e conseguir fechar uma ementa.

O terceiro passo é ao cozinhar cortar o sal na confecção e adicionar no próprio prato. Escolher outras ervas que possam aromatizar e dar mais sabor.

Sobre como apresentar alimentos e preparar os cortes e afins sugiro que espreitem as partilhas que faço no instagram ou, para quem estiver interessado em começar, que procure ajuda de especialistas (falem com a Maria ;)).

Bolo com sabor a Frozen

Para o aniversário da baby M perguntei de que sabor queria o bolo. A resposta foi Frozen. Para a escola da Ana. Para casa da Elsa…

A irmã ainda a tentou convencer com chocolate… mas manteve-se fiel ao sabor “Frozen”.

Esta mãe puxou pela cabeça e pensou: vamos tentar algo para o azul… com cobertura branca!?

Patê de anchovas

Assim à primeira “vista” quase todos torcem o nariz… ah e tal não gosto de anchovas. Mas acreditem este patê fica mesmo muito bom.

Um toque salgado, mas não em exagero. Vai bem com uma cenoura ralada, uma tosta ou uma fatia de pão. Até por cima de um pedaço de abacate.

Servem como entrada, pequeno almoço ou snack!

A baby M é a maior fã! Ela come com cenoura, com pão ou simplesmente com os “dedos”!

Ingredientes:

  • 1 frasco de anchovas
  • 1 frasco de azeitonas pretas sem carico
  • 2 ovos cozidos
  • 1 ramo pequeno de coentro
  • Iogurte grego natural qb

Preparação:

Juntar todos os ingredientes num copo alto e triturar com a varinha mágica. Coloco de base 2 CS de iogurte grego mas pode ser necessário mais um pouco. Para ficar cremoso.

Deixar no frigorífico até à hora de servir.

Acompanha muito bem com palitos de cenoura ou pepino.