(não) Comer bem é caro

Oiço muitas vezes que para comer de forma saudável se gasta muito dinheiro no supermercado. Depende. Eu já passei por isso: a mudança de comer menos bem para “melhor” passou por ir para os supermercados biológicos e fazer as compras todas lá… embalados e não embalados. Claro que assim fica difícil não aumentar a fatura.

Mas na verdade NÃO comer bem é que é caro: caro em saúde hoje e em saúde futura. A nossa e a dos nossos.

OK. Pronto, mas para não ser caro demora imenso tempo a preparar tudo, e ir às compras e escolher e ler rótulos… blá blá blá…

Sim, numa fase inicial, como em qualquer mudança, poderemos perder (eu gosto de dizer ganhar) tempo de planeamento para conseguir melhores escolhas e melhor custo.

Mas também aqui se voltarmos aos básicos (como referia aqui) tudo fica mais fácil. Como compravam os nossos pais a carne? Era só as pernas do frango ou vinha a galinha inteira (em alguns casos viva e tudo :)). E os preparados disto e daquilo? Se em vez de comprar uns douradinhos ou uma lasanha congelados (que já agora são muito menos interessantes), mas fizer eu tenho ganhos no custo e na qualidade dos alimentos. E voltar aos básicos também é não comprar certos alimentos apenas porque me dizem que são o super-alimento da moda. É comprar fruta local e da época e não carregar o carrinho com “manga de avião” em pleno inverno português.

Quanto ao tempo: é parar e planear. Investir tempo para ganhar tempo. Vou ligar o forno, o que posso fazer a mais? Como posso otimizar as compras e as rotas que faço? Cozinhar em dobro?

Cada família terá uma estratégia que melhor se adequa às suas necessidades. Mas ela existe.

Deixo de sugestão o Workshop temático 1 Galinha 3 Pratos. Em 2 horas 3 refeições e o aproveitamento de todo o animal. Tempo e custo.

Refeições em família

Um assunto que parece ser tão simples pode na verdade ter muito que se lhe diga.

Sentar a família toda à mesa, quando se tem filhos pequenos, parece, muitas vezes, missão impossível. Seja porque o jantar fica muito tarde, seja porque na correria dos dias temos pratos distintos para diferentes faixas etárias.

Mas e quando éramos crianças era assim? E os nosso pais?

Na maioria dos casos vamos perceber que nos últimos anos complicamos a nossa vida, talvez pelo excesso de informação que vamos recebendo. Talvez porque tomamos consciência que as escolhas habituais não são as mais saudáveis e sentimos necessidade de mudanças… nos nosso filhos.

E se voltássemos aos “básicos”?

Voltar a transformar a hora da refeição num momento de partilha e convívio familiar.

Esta semana vou falar-vos de planeamento, de escolha de alimentos que nos dão (a nós e aos miúdos) a energia certa, da apresentação da mesma refeição em diferentes idades e como adaptar receitas que parecem ser só para adultos a bebés pequenos.

Terminamos a semana com um workshop para Famílias BLW. Se sentem que precisam deste empurrão vejam aqui.

Pernas de pato com risotto de funcho e laranja

Quando a Lara, Mozart in the kitchen, me convidou para participar na sua Sonata comecei longo a pensar que receitas queria partilhar com os seus seguidores.

Juntou-se a esta busca uma encomenda de frescos carregada de cabeças de funcho. A “cabeça” em si já costumamos assar e usar como acompanhamento, mas a rama não lhe dou grande utilidade. Sendo um dos meus focos aproveitar a 100% o alimento nascia o desafio. O que posso fazer com isto?

Saiu uma maravilhoso risotto de funcho e laranja, para acompanhar uma tenras pernas de pato que antes de irem ao forno a dourar, amaciaram e enriqueceram um lindo caldo para o arroz.

Ingredientes:

  • 2 pernas de pato
  • 2 cabeças de funcho com rama
  • 1 laranja
  • 100 gr de arroz risotto arborio
  • 2 chalotas picadas
  • azeite qb
  • Parmesão 
  • Flor de sal e pimenta

Preparação:

Numa panela alta colocar as penas de pato, a rama da cabeça de funcho, a casca da laranja e cobrir com água. Deixar cozinhar em lume brando durante 90m. Quando terminar retirar as pernas, secar com papel de cozinha e colocar num tabuleiro de forno junto com a cabeça de funcho aberta ao meio. Regar com azeite e levar ao forno entre 20-30m, a 200C.

Reservar o caldo para o risotto.

Refogar a chalota em azeite, juntar o arroz e ir adicionando o caldo de cozedura das pernas para que não seque. Cozinhar em lume brando. 

Terminada a cozedura do arroz juntar parmesão ralado na hora.

Temperar com flor de sal e pimenta e servir com as pernas, cabeça de funcho e laranja laminada.