Rir para não chorar? Ou simplesmente sorrir

Hoje na praia com os miúdos, com calma, tempo “parado” e apenas a estar dei por mim a gargalhar. Com aquelas pequenas coisas que elas dizem como sendo verdades absolutas.

Na correria do dia a dia são poucas as vezes em que realmente riu com vontade. Não o sorrir por simpatia. Esse não encaixa neste “rir” que vem se dentro. Daquele que é tão característico das crianças.

Isto de sermos adultos e termos a cabeça a mil: o trabalho, o jantar, o banho dos miúdos, a marmita da escola, a conta que tem de ser paga e está na data limite, isto e aquilo… passamos o dia numa correria e lá nos vamos esqueço do prazer de uma boa gargalhada ou de simplesmente sorrir.

Mas é bom. Sabe bem e faz bem. Levanta a moral. E um excelente exercício é este de olhar para as crianças e ver e ouvir com presença como elas fazem. Sejam ou não os nosso filhos. Eles sabem rir. E contagiam.